A empresa Intel sofre com vazamento de mais de 20 GB de informações secretas

Um vazamento com mais de 20GB de arquivos internos da empresa de chips Americana Intel (alguns catalogados como confidenciais, sigilosos e restritos) agora estão online em uma plataforma de compartilhamento de documentos.

De acordo com Till Kottmann, o engenheiro de software que recebeu e postou o material, do vazamento foi obra de pessoas anônimas, que alegam ter entrado um servidor Intel “que estava online pela Akami CDN que não era muito seguro” no começo do ano. O que Kottmann postou vai ser somente uma fatia do material vazado.

A empresa não confirma a invasão: “Acreditamos que uma pessoa com acesso fez o download e compartilhou as informacões […] do nosso conglomerado de Recursos e Design, que guarda dados para uso de nossos usuários e parceiros que se registraram para acessá-lo”.

Informações sobre o Tiger Lake

Engenheiros de segurança que trabalham para a Companhia, foram consultados pelo site ZDNET, afirmaram a originalidade dos documentos. Vazaram informações sobre layout e códigos para chipsets, como os de referência do BIOS e de mostra para o Kaby Lake (nome da sétima geração de CPUS, de 2016), e mais estruturas, recursos e firmware para os processadores de 10nm e 11ª geração Tiger Lake, com  previsão de lançamento para o segundo semestre de 2020.

Kottmann obteve os documentos porque gerencia um grupo no Telegram onde posta vazamentos online de várias companhias de tecnologia. De acordo com ele, o hacker afirmou que entrou em um servidor da empresa americana e não, ter utilizado um código de acesso ao Centro de Recursos e Design da companhia.

De acordo com a Intel, é por meio desse portal que clientes executivos adquirem arquivos técnicos sobre os chipsets fabricados por ela. O ZDNET afirmou que vários arquivos trazem links para essa plataforma, o que afirma as conversas da Intel sobre o vazamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *